Fígaro, Sugar, Haruki, Kantaro, Aisha, Kuririn, Anko, Bert, Mocchi, Kinako, Doraemon, Kinako.
Esse é o time eficiente que atende os consumidores no pequeno café Nekorobi, escondido no terceiro andar de um prédio em Ikebukuro, em Tóquio. Detalhe: são todos gatos.
Os clientes não são atraídos por bebidas ou quitutes, mas sim para brincar e fazer carinho nos gatinhos (“neko”, em japonês).
catcafe
Os chamados “cat cafés” (“café dos gatos”) tornam-se cada vez mais populares no Japão, em uma sociedade em que é cada vez mais difícil ter seu próprio bichinho de estimação, devido ao alto custo de vida, às longas jornadas de trabalho e aos apartamentos minúsculos, onde muitas vezes é proibido manter animais.

Além disso, a população tem índices crescentes de pessoas solteiras e sem filhos, o que torna a solidão um problema –ou uma oportunidade de negócio para os “cat cafés”.

Na verdade, a maioria dos “cat cafés” não vende comidas e bebidas de maneira avulsa. Em geral, eles cobram um valor por hora, e os clientes podem brincar com os gatos, usar a infraestrutura do local (em geral, TV, computador, internet, revistas, videogame) e consumir à vontade os produtos de máquinas de bebidas e salgadinhos.

O Nekorobi, por exemplo, oferece TV, computador, videogame, acesso à internet sem fio, máquina de bebidas (tudo incluído) e impressora para imprimir fotos dos bichanos. Fotos, aliás, são permitidas, desde que sem flash.
Em alguns “cat cafés”, cliente tem de fazer reserva

Não há um número exato de quantos “cat cafés” existem no Japão, mas acredita-se que haja pelo menos 39 só em Tóquio. Em alguns, o movimento é tanto que os clientes precisam fazer reserva.

Não é o caso do Café Nekorobi. O local funciona das 11h às 23h durante todos os dias, e garante que, mesmo quando está lotado, o cliente só precisa esperar por volta de 10 minutos.

No Nekorobi o “serviço” custa 1.000 ienes (cerca de R$ 21) a primeira hora nos dias de semana, e 1.200 ienes (R$ 25,20) nos fins de semana e feriados.

Já no Café Asakusa Nekoen, o ingresso custa 800 ienes (R$ 16,8) e dá direito a 1 hora com os gatinhos. Cada meia hora adicional custa mais 200 ienes (R$ 4,20).

Na concorrência, o Neko Jalala tenta atrair clientes em meio às lojas hi-tech do distrito de Akihabara. O café tem até página no Facebook.

“Para escapar do stress da vida urbana, os clientes do ‘cat café’ Neko Jalala em Tóquio podem relaxar em sofás macios enquanto tomam um chá –e alisam o pelo de um dos oito gatos da equipe do café”.

coelho garcom agradece
Fonte: Uol